Savage Worlds

Deadlands: cinco obras para inspirar suas aventuras de RPG no Velho Oeste

Cinco obras para você conhecer e adaptar histórias fantásticas no Velho Oeste para sua mesa de Deadlands

A campanha de crowdfunding da versão brasileira de Deadlands para Savage Worlds: Edição Aventura (SWADE) foi financiada com sucesso e, para ajudar os mestres que já receberam a versão preliminar do jogo, que está sendo feito pela editora RetroPunk, o Mesa de RPG montou uma lista com cinco obras de ficção para inspirar suas aventuras de RPG no Velho Oeste.

Antes de abordar as sugestões, vamos falar um pouco sobre o jogo. A nova versão de Deadlands apresenta um salto na história do cenário, que agora está no ano de 1884. Em termos de regras, também houve a mudança para se adequar ao sistema de SWADE, que por si só, já é mais enxuto e mais rápido. São apresentadas ainda novas mecânicas de duelos e do uso de benes. 

Nova versão de Deadlands para Savage Worlds no Brasil – Imagem: Editora RetroPunk/Divulgação

O cenário utiliza as regras de Savage Worlds para adaptar o gênero faroeste para o RPG. O jogo apresenta uma versão alternativa do clássico Velho Oeste, aqui chamado de Oeste Estranho, onde um grande terremoto rasgou a terra liberando espíritos malignos, que trouxeram os quatro cavaleiros do apocalipse e os horrores ao mundo e ainda trouxeram a magia.

É o cenário ideal para os mestres que querem contar histórias com elementos tradicionais do western, como duelos de pistolas, apostas no saloon e conflitos com bandoleiros que estão tentando assaltar a carga de trem mais próxima, assim como também é o ambiente ideal para incluir todos os elementos do horror dentro desta narrativa, misturando fantasia com mundo real e paisagens áridas com monstros sombrios. 

Sunset Riders – Jogo

Sunset Riders, um clássico do SNES

Começando pelos clássicos, mas fugindo dos filmes de western, vamos de Sunset Riders, jogo de faroeste em estilo 2D desenvolvido pela Konami e lançado em 1991 para Arcade, adaptado em 1993 para Mega Drive/Genesis e SNES, console onde foi mais conhecido. 

Em Sunset Riders, os aventureiros são caçadores de recompensas que literalmente atravessam o Velho Oeste dos Estados Unidos trocando tiros com foras-da-lei. 

Tem espingarda, tem revólver, tem perseguição à cavalo, tem perseguição à cavalo em que os mocinhos têm que sair do cavalo e se jogar em um trem em movimento, ou seja, o jogo tem todos os elementos tradicionais do gênero western que podem ser adaptados para uma aventura de Deadlands. 

Os chefes finais de cada fase, são oito ao total, podem ser NPCs que os aventureiros vão enfrentar. Aqui existem personagens como Simon Greedwell, um fazendeiro corrupto cheio de capangas; The Smith Bros, dois irmãos gêmeos piromaníacos que tocam o terror em um saloon utilizando bombas; Chief Scalpem, um xamã índio; Paco Loco, um guerrilheiro com porte militar e também Sir Richard Rose, um inglês rico que mora em um palácio.

Tex – HQ

Acompanhe as aventuras do ranger Tex Willer na luta contra foras-da-lei e bruxos mágicos

Tex é uma série de quadrinhos clássica do gênero western criada pelos italianos por Gian Luigi Bonelli e Aurelio Gallepini em 1948. A série acompanha as aventuras de Tex Willer e seus amigos pelo Velho Oeste, em mais de 700 gibis que retratam, com muita verossimilhança, episódios reais e a cultura dos índios, dos pioneiros e dos moradores do Velho Oeste, entre os anos de 1860 e 1890.

Tex é um Ranger do Texas e, além disso, chefe dos navajos. Por sua bravura e perícia, é comumente requisitado pelo comando dos rangers para atuar em missões delicadas e especiais, que envolvem perseguir contrabandistas de armas, assaltantes de trens ou bancos, ladrões de manadas, xerifes corruptos e vários outros. 

Para isso ele conta com a ajuda de outros aventureiros como o velho Kit Carson, o índio navajo Jack Tigre, o irlandês Pat Mac Ryan e vários outros. 

Tanto Tex e seus companheiros podem virar ou inspirar NPCs para ajudar os personagens da sua campanha como também os inimigos do ranger. Seu arquirrival é o bruxo maligno Mefisto, e seu filho, Yama, que podem render várias aventuras explorando a magia no Oeste Estranho. Ainda damos destaque aqui para o pistoleiro mexicano El Muerto e o cientista louco O Mestre.

Red Dead Redemption – Jogos

Red Dead Redemption mal chegou e já sentou na janela dos clássicos do faroeste

A franquia de jogos Red Dead Redemption, da Rockstar Games, não poderia faltar em uma lista de obras relacionadas ao Velho Oeste. Os dois jogos principais se passam em uma versão fictícia do Oeste dos Estados Unidos e neles os jogadores acompanham a história de John Marston (RDR1), um antigo fora-da-lei cuja esposa e filho foram tomados como reféns pelo governo para forçá-lo a trabalhar como pistoleiro contratado; e de Arthur Morgan (RDR2), um tenente e membro veterano da gangue Van der Linde, da qual John faz parte. 

O primeiro jogo se passa durante o declínio do Velho Oeste, onde a sociedade parece estar mais corrompida. O segundo jogo é uma prequel do primeiro e se passa no auge da era. Todos os elementos clássicos de um cenário de faroeste estão presentes nos dois jogos.

Para as campanhas de Deadlands, além dos personagens e tramas dos dois jogos da franquia, a gente destaca também a expansão Red Dead Redemption: Undead Nightmare, que saiu em 2010 para Playstation 3 e Xbox 360.

Aqui o ex-fora-da-lei John Marston está em busca da cura para uma praga zumbi que infectou sua esposa e filho. Entre as missões do jogo que os aventureiros de Deadlands podem enfrentar, estão libertar cidades tomadas por zumbis, esvaziar cemitérios e resgatar pessoas desaparecidas. Sem modo de viagem rápida, os jogadores de Undead Nightmare precisam racionalizar bem seus itens e buscar assentamentos para se recuperar antes de partir para a própria missão, um elemento de horror que pode ser utilizado para enriquecer uma campanha de Deadlands.

Cowboys & Aliens – HQ e filme

Cowboys & Aliens – Dois Homens e um Destino se encontra com Independence Day

Cowboys & Aliens é uma HQ criada por Scott Mitchell Rosenberg e escrita por Fred Van Lente e Andrew Foley que mistura faroeste e ficção científica. Inicialmente, a ideia do estúdio responsável pela obra era fazer um filme adaptado de Tex, mas eles não conseguiram comprar os direitos para isso.

Os criadores resolveram então fazer um roteiro original e surgiram com a ideia de incluir alienígenas no cenário de Velho Oeste. Os direitos do roteiro foram comprados pela Universal Pictures e pela Dreamworks e em 2006 eles lançaram primeiro uma Graphic Novel.

O filme finalmente saiu em 2011, dirigido por Jon Favreau e com Daniel Craig como personagem principal. Apesar dos nomes dos personagens serem diferentes entre filme e HQ, a história é a mesma e tem tudo para dar uma boa aventura de Deadlands.

O argumento é simples: quando aliens resolvem invadir e colonizar a Terra, cowboys, xerifes, índios e bandidos precisam se unir para derrotar um inimigo em comum.

Em Deadlands também temos os inimigos em comum que ameaçam a humanidade, então é possível adaptar tanto a história da HQ quanto do filme para uma aventura no cenário.

A Torre Negra – Livros

Horror e western ao mesmo tempo? A Torre Negra tem história o suficiente para uma longa campanha

Considerada a obra prima de Stephen King, a série A Torre Negra demorou exatos 30 anos para ser concluída, com o primeiro livro saindo em 1982 e o oitavo em 2012. 

Inspirada no universo imaginário de Tolkien (O Senhor dos Anéis) e com referências às Lendas Arturianas e ao cinema western, o enredo d’A Torre Negra segue um pistoleiro e a sua busca em direção a torre que dá nome à série. Uma torre cuja natureza é tanto física quanto metafórica.

Na história, Roland Deschain é o último membro vivo de uma ordem de cavaleiros conhecidos como pistoleiros. O cenário é fictício, mas se passa em uma sociedade organizada politicamente nos moldes do sistema feudal e compartilha tecnologias e características sociais encontradas no Velho Oeste. Apesar disso, é um universo mágico, com elementos que podem ser adaptados para o cenário de Deadlands.

É impossível listar aqui em poucos caracteres todos os personagens, enredos, vilões e histórias que se passam nas mais de 4 mil páginas dos oito livros de A Torre Negra, mas uma coisa é certa: é possível criar um clima de horror western bastante forte tendo Stephen King como inspiração para as aventuras no Oeste Estranho.

Bônus – Bacurau – Filme

Sério mesmo, quem não ia querer um aliado como Lunga em sua aventura?

Este aqui trouxemos diretamente da dica dada por Ray Galvão no post da RetroPunk com dicas de filmes para inspirar campanhas de Deadlands.

O Velho Oeste fica nos Estados Unidos, mas o Brasil também tem suas histórias de western. O clima árido, as casas de madeira ou de barro, trens, pistoleiros, confusões em um bar, foras-da-lei, xerifes (ou seriam coroneis?), as histórias sertanejas são tão ricas quanto qualquer faroeste.

Bacurau, filme premiadíssimo de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles é apenas um dos exemplos que podem inspirar os mestres para suas mesas de Deadlands.

A cidade que dá nome ao filme fica no interior do interior. Os moradores lamentam a perda de sua matriarca, Carmelita, que viveu até os 94 anos. Dias depois, os habitantes começam a perceber coisas estranhas na região que coincidem com a chegada de estrangeiros que tem apenas um plano: exterminar todo mundo. Lógico que os moradores, liderados pelo assassino Pacote (Thomás Aquino) e o pistoleiro Lunga (Silvero Pereira), resolvem pegar em armas e combater esse mal.

Os enredos que levam ao desfecho eletrizante do filme (aliás, se você ainda não assistiu, pare a leitura agora, vá assistir e depois volte para terminar de ler) podem ser ganchos de várias aventuras: buscar ajuda do pistoleiro famoso, que está escondido; procurar e encontrar um estoque de armas antigas para defender a cidade; armar uma emboscada para expulsar os forasteiros, tudo isso leva a grandes aventuras de de RPG, principalmente se passando no Velho Oeste.

E você? Tem mais alguma sugestão de obras que rendem boas histórias em Deadlands? Deixa aí embaixo nos comentários! A campanha de financiamento coletivo do jogo segue aberta até terça-feira (16), com a meta principal e várias das metas estendidas já atingidas.

Diogo Almeida

Jornalista, músico e jogador de RPG. Não necessariamente nesta ordem.

16 thoughts on “Deadlands: cinco obras para inspirar suas aventuras de RPG no Velho Oeste

Average
5 Based On 16

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *