Dungeons & Dragons

O que é canônico em D&D, segundo a Wizards of the Coast

Série de TV live-action de D&D
Série de TV live-action de D&D está em produção pela Hasbro – Imagem: Wizards of the Coast/Divulgação

Chris Perkins, um dos principais autores de Dungeons & Dragons, publicou um artigo na última semana explicando a posição da Wizards of the Coast sobre o que é canônico no cenário do RPG de mesa D&D 5ª Edição.

Em resumo: apenas as publicações que norteiam D&D 5E – Livro do Jogador, Manual dos Monstros e Guia do Mestresão consideradas canônicas.

Além disso, só faz parte do cânone oficial aquilo que está descrito na versão mais atual do jogo – ou seja, vale o que está na edição mais recente. E o artigo também destaca que cada cenário de campanha tem seu próprio cânone. 

Com isto, a Wizards deixa claro também que não são canônicas as histórias e interpretações de regras ocorridas em mesas oficiais, transmitidas ao vivo, ou mesmo em qualquer outro jogo que tenha integrantes do D&D Studio.

Claro, o autor faz questão de reafirmar que cada mesa de RPG tem sua própria “realidade” de acordo com os acontecimentos e desdobramentos do que acontece no jogo. O mestre sempre é a última instância para arbitrar o que é válido naquela campanha. “A história pertence ao DM (Dungeon Master) e aos jogadores, não a nós”, afirma Perkins.

Assim, se você não tiver certeza do que é canônico em D&D 5E, siga a seguinte regra: apenas o Livro do Jogador, Manual dos Monstros e Guia do Mestre são canônicos. 

“Além desses livros de regras básicas, não temos uma conta pública do que é canônico na quinta edição, porque não queremos sobrecarregar nossos colegas criadores e parceiros de negócios”, conclui Chris Perkins.

Taiguara Rangel

Jornalismo, marketing digital, SEO, ads. Boteco, música, literatura, futebol, etílicos. E um RPG no meio.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *